Quinta, 19 de outubro de 2017
"A adoração é o degrau mais alto na escala da guerra espiritual" (Ap. Sinomar).

1ª MINISTRAÇÃO

=====================================================================
CAMPANHA: Graça de Graça
1ª PALAVRA: O QUE É GRAÇA
PERÍODO: 02 a 07 de Novembro
=====================================================================
 
A melhor expressão que pode definir a palavra graça é “favor imerecido”. E quando pensamos que merecemos ser perdoados? Qual o seu critério de julgamento? O que faz você merecer o perdão de Deus? Por que achamos que algumas pessoas não merecem o perdão, mas nós sim? Por que consideramos algumas pessoas como mais pecadoras do que outras?
 

É isso que acontece quando uma sociedade deleta Deus de sua existência. Perdemos o critério. Aquilo que pode ser errado para você, pode não ser para mim, e isso pode ir de uma simples mentirinha ao holocausto. Se Deus está morto, então tudo é justificável.

 

Deus nos desafia a responder por um critério superior, em vez de por uma opinião pessoal. Esse critério é a graça de Deus. Diante de Deus somos todos iguais. Todos pecaram e precisam da misericórdia de Deus. Não há um justo sequer. Não seguramos o martelo da justiça divina. Ninguém está apto a julgar, pois aquele que julga os outros julga a si próprio, pois também comete pecado.

Porque precisamos da graça de Deus?
 

Primeiro: Não somos bons o bastante – Suponha que Deus determinasse que o mandamento único para a salvação fosse: “Deves saltar bem alto no ar para que toques a lua”. Nenhum de nós conseguiria atingir o critério, todos precisariam de uma intervenção divina. Em vez disso Deus ordenou: “Sede perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos céus” (Mt 5:48).

Mais uma vez, ninguém pode atingir o critério. Nenhum de nós é bom o bastante e isso nos reduz a um só nível – todos precisam da graça de Deus. Nosso problema é que em vez de admitir nossas próprias faltas, encontramos falhas nos outros. O jeito mais fácil de justificar os erros em nossa casa é achar erros piores na casa do nosso vizinho.
 

A porta para a graça de Deus é o coração sincero e arrependido. Precisamos, primeiro, pedir que Deus tire o argueiro do nosso olho para que possamos ajudar os nossos irmãos. E nada de ficar apontando o dedo e ficar dando desculpas para Deus por causa das nossas falhas. O que precisamos é do entendimento da graça, para descobrirmos que todos nós somos carentes da misericórdia de Deus. Assim vamos amar o pecador e odiar o pecado, mas para isso precisamos descobrir que não somos melhores do que ninguém. Não somos bons o bastante.

Segundo: Não sabemos o bastante? “Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês há de completá-la até o dia de Cristo Jesus” (Fp 1:6 NVI).
 

Condenamos um homem por cambalear nesta manhã, mas não vimos a pancada que ele levou ontem. O Pedro que negou a Jesus na fogueira esta noite, poderá proclamá-lo com fogo amanhã, no Pentecostes. O Sansão que hoje está cego e na prostituição pode usar suas últimas forças para

demolir os pilares do ateísmo. O pastor gago desta geração pode ser o poderoso Moisés da geração vindoura.

Um criminoso foi condenado à morte em seu país. Em seu último momento, clamou por misericórdia. Se tivesse pedido clemência ao povo lhe teria sido negada, se tivesse pedido ao governo, não lhe teria concedido. Houvesse pedido às suas vítimas, elas se fingiriam de surdas. Mas não é assim com a graça. Ele virou-se para o vulto ensangüentado, pendurado na cruz próxima a dele, e apelou: “Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”. E Jesus respondeu-lhe dizendo: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”.
 

Podemos dar nossa opinião sobre um quadro, enquanto o artista ainda segura os pincéis? Como pode você repudiar uma alma, antes que o trabalho de Deus seja completado?

A súplica daquele ladrão não foi diferente da sua nem da minha. Ele poderia clamar da cruz, da sua cama na prisão, e você, num banco de igreja, porém do ponto de vista do céu, estamos todos tentando tocar a lua. E pela graça do céu todos fomos atendidos.
 

“Pela graça sois salvos e isso não vem de vós para que ninguém se glorie” (Ef 2:8).Não digo todas essas coisas para que você pense que pode pecar, para te dizer que você não pode ser bom o suficiente para se salvar.

VOCÊ PRECISA DESESPERADAMENTE DE DEUS. Sem Deus você está perdido e condenado à morte.
 
 
Pr. Jônatas Sineliz
© 2010 - Todos os direitos reservados Ministério Apostólico Luz para os Povos
www.luzparaospovos.org.br   webdesigner: cristiano souza   sistema: coweb