Domingo, 30 de abril de 2017
"Oração é a melhor ginástica pra a alma; quanto mais você ora, mais forte você fica." (Ap. Sinomar)

Princípios de Revelação na Palavra - Final

A REVELAÇÃO NO ESPÍRITO

Na vida cristã, o ponto mais importante é o conhecimento espiritual, a revelação. Como já mostramos anteriormente, a maior preocupação de Paulo, em todas as suas epístolas, era  pela  revelação (Ef 1:15-19, Ef 3:14-19).

É interessante vermos que Paulo não orava pelo crescimento das igrejas locais. Em nenhum lugar, Paulo faz votos pelo crescimento numérico de nenhuma igreja. Paulo não ora pelo prédio o­nde os irmãos deveriam se reunir. Paulo tinha uma única oração: por revelação.

Precisamos entender que o Novo Testamento tem um ponto central. E  não digo que não devemos orar por coisas como as que já mencionei, elas têm a sua devida importância, mas não são o ponto central.
 
O ponto central de todo o Novo Testamento é Cristo. Mas, não apenas Cristo, mas Cristo dentro de nós, em nosso espírito. O que tem valor, realmente, é conhecermos Cristo, por revelação, em nosso espírito. Se possuirmos revelação de Cristo, espontaneamente, todas as áreas de nossa vida serão afetadas e transformadas.
 
Quando a revelação de Deus vem, então, há crescimento, há discipulado, há maturidade cristã, há missões, há novos líderes, tudo o mais é apenas conseqüência de termos as nossas vidas impactadas pela luz do Espírito Santo. ‘‘...Fazendo menção de vós nas minhas orações, para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes, qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder...’’ (Ef 1:15-19). Paulo não ora simplesmente para que os efésios tenham revelação, ele também especifica revelação do quê. Em primeiro lugar revelação ao Senhor, em segundo lugar, saber qual a esperança do seu chamamento e a suprema grandeza do seu poder neles. Na medida em que nossos olhos espirituais se abrem e entendemos com todos os santos a medida do seu poder dentro de nós, então há uma explosão de poder e autoridade. Esta geração vai descobrir a autoridade que tem e a suprema grandeza do poder de Deus que opera dentro de nós. Não adianta saber com a mente, temos que ter revelação no espírito.
 
‘‘Por esta causa me ponho de joelhos...  a fim de poderdes compreender... qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Deus que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus (Ef 3:14-19). Veja bem que Paulo diz que o amor de Deus excede todo entendimento. Por isso ele ora por revelação, pois a mente sozinha não pode entender. O desejo de Paulo era que os crentes fossem tomados de toda a plenitude de Deus. Para que isso acontecesse, eles precisavam apenas ter revelação do amor de Deus. Quando os nossos olhos se abrem e o entendemos claramente o amor de Deus, então somos tomados de toda plenitude de Deus. Muitos de nós pedem poder, mas este poder já está dentro de nós. O Espírito Santo é o ‘‘dínamus’’ de Deus, é o poder de Deus. Esse poder está habitando agora dentro de nós, esperando apenas ser liberado pela fé. Quando a revelação vem, então, há fé para liberar o poder de Deus que está na pessoa do Espírito Santo, que habita em nós. ‘‘E também faço esta oração: que o vosso amor aumente... em pleno conhecimento e toda percepção...’’ (Fp 1:9-11). Essa percepção, da qual Paulo fala, é algo espiritual e não mental. A vida cristã não consiste em acúmulo de conhecimento mental, mas em um avançar em níveis novos de revelação no espírito.
 
‘‘Por esta razão... não cessamos de orar por vós, e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento... em toda sabedoria e entendimento espiritual... a fim de viverdes de modo digno do evangelho...’’ (Cl 1:9-12). Mais uma vez Paulo está orando para que os crentes transbordem de revelação a fim de terem uma vida santa. Veja bem que Paulo está dizendo aqui que a vida santa é apenas conseqüência de revelação. É um fato que, na medida em que Deus realmente habita em nós, haverá um temor em usarmos o nosso corpo. Se carregarmos uma quantidade de dinheiro no bolso, todos vão perceber um certo cuidado no andar. Se carregamos o Deus de toda a vida dentro de nós, todos devem perceber algo diferente em nossa maneira de andar.
 
O Espírito Santo habita dentro de nós. O poder de Deus está em nós. A saúde de Deus está em nós. A natureza de Deus está em nós. A bondade, a justiça, o amor de Deus , tudo isso é residente dentro do nosso espírito recriado. Não precisamos de buscar estas coisas, precisamos é de ter revelação de que elas já estão dentro de nós. Nós temos a mente de Cristo, a unção do santo; tudo aquilo que é necessário para uma vida santa e plena já foi colocado dentro de nós pela pessoa do Espírito Santo.
 
Um grande problema no meio do povo de Deus, neste dias, é pregador que só passa conhecimento mental. Se o que temos é mente, é isso o que iremos passar. Se o que temos é revelação, então, é revelação o que iremos passar. Se o meu coração não é aquecido pelas verdades que estou pregando, eu não posso esperar que o coração de quem me ouve seja tocado. Se eu falo de coisas que mudaram a minha vida, então isso deverá mudar a vida de outros. Se falo de teoria, os outros vão receber como teoria. Mas graças a Deus, porque a Palavra de Deus é a verdade e nela não há uma teoria sequer.
 
Todos éramos como um enfermo portador de vários tipos de doenças. Depois que o médico fez o diagnóstico, deu-lhe a receita para que você tomasse vários tipos de remédios, cada um para uma doença. O farmacêutico, então, colocou todos os medicamentos dentro de uma única seringa. Esse conjunto de medicamentos foi a dose que resolveu todas as suas enfermidades. A mesma coisa Deus fez em nós; ele injetou em nós uma dose que resolve todas nossas necessidades, essa dose é o Espírito Santo. Precisamos de entender no Espírito que tudo o que necessitamos para uma vida com Deus já nos foi dado por meio do Espírito Santo que em nós habita. Se precisamos de poder, Ele é o poder. Se precisamos de amor, Ele é o amor que foi derramado em nossos corações. Se precisamos de entendimento, todos os tesouros da sabedoria estão ocultos n’Ele. Portanto, todas as coisas já estão completadas em nosso espírito.
 
PRINCÍPIOS PARA SE OBTER REVELAÇÃO

Existem princípios nos quais devemos estar inseridos se desejamos alcançar revelação da parte do Senhor. Eu não posso forçar a luz de Deus  vir, mas eu posso estar habilitado a percebê-la sempre que ela se manifestar.
 
A principal questão para se alcançar revelação é tratar com o coração. É no coração que a luz de Deus resplandece (II Co 4:6). Se o nosso coração estiver com problemas, não perceberemos a luz de Deus.
 
1 - Um Coração Consagrado a Deus

Em Juízes 16:20-21, lemos que Sansão foi derrotado pelos filisteus e estes lhe cegaram os olhos. Por que Sansão foi derrotado? Porque ele era nazireu consagrado ao Senhor, e o sinal da sua consagração era o seu cabelo. Quando o seu cabelo foi cortado, então ,a sua consagração também foi cortada. Todas as vezes que a nossa consagração e obediência a Deus são quebradas, uma nuvem escura vem sobre nós. Tornamo-nos como cegos para as coisas espirituais.
 
O pecado é algo terrível que produz insensibilidade em nosso coração e nos incapacita a ouvir e receber de Deus. O alvo do diabo, como já dissemos, é impedir que vejamos; ele quer que sejamos cegos sobre Deus e Seu propósito. Quando o pecado entra em nossas vidas, o diabo tem espaço para nos cegar e, assim, somos impedidos de obter revelação de Deus. A revelação do Senhor é para aqueles que obedecem, que têm um coração consagrado, dado, ofertado a Deus.
 
Existem muitos servos  de Deus que não conseguem entender as coisas do espírito como se fossem homens não convertidos. Por que acontece isso? Porque são servos que erram no coração. Não tem um coração consagrado ao Senhor. Por causa disso, os seus olhos espirituais, os olhos do coração, estão cegados e eles não podem ver as coisas espirituais. Esse não é o único, mas talvez seja o principal motivo da cegueira no meio do povo de Deus.
 
Por outro lado, aqueles que andam em obediência se tornam cada vez mais sensíveis e aptos para receberem de Deus no seu espírito.
 
2 - Um Coração Ensinável

Com relação ao ensino, há dois tipos de crentes na casa de Deus. Há aqueles que são portadores de uma doença que eu costumo chamar de complexo de Adão. Eles julgam que não devem aprender nada com ninguém, pois Deus vai ensinar tudo para eles. Na sua presunção, estes irmãos jogam fora séculos de história e de mover de Deus, e esperam que Deus comece tudo outra vez com eles.
 
Por outro lado, há um segundo tipo, que são os piores: aqueles que julgam que já sabem tudo. Quem já sabe tudo não precisa mesmo aprender com ninguém, e nem mesmo precisa buscar revelação. Eles detêm todo o conhecimento da humanidade.
 
Tais irmãos não devem esperar algo no Senhor pois Deus os resiste. Tudo isso é soberba e Deus resiste ao soberbo, mas dá graça ao humilde (I Pe 5:5). Em Apocalipse 3:18  o Senhor aconselha a igreja de Laodicéia a comprar colírio para que possa ver. Esse ver é algo no espírito. Colocar colírio nos olhos significa buscar um coração ensinável. Quem não se dispõe a aprender com os outros também não vai aprender diretamente com o Senhor. Sansão ficou cego por causa da falta de consagração; os laodicenses ficaram cegos por causa de um coração soberbo, que julga saber todas as coisas.
 
Revelação é simplesmente desvendar, é revelar algo que estava oculto. Mas não basta apenas revelar o que está oculto, é preciso que haja luz, caso contrário, não poderei enxergar. Eu posso revelar o que está oculto em uma caixa, mas, se não houver luz, de nada vai adiantar. O desvendar é importante e a luz é imprescindível, mas, se em mim não há olhos para enxergar, então tudo foi em vão.
 
O ministro deve abrir a palavra e isso acompanhado de muita luz do Senhor, mas se, das pessoas, os olhos estiverem cegos, de nada adiantará. Antes de tudo é preciso que tenhamos olhos para enxergar. Se não, cairemos no mesmo problema dos fariseus: tinham olhos, mas não viam, tinham ouvidos, mas não ouviam.
 
Eu não devo buscar aprender sozinho aquilo que meu irmão já sabe, pois Deus não vai me ensinar. Mas se eu me disponho a aprender com meu irmão, então a luz de Deus virá através dele. Se em nossa cidade Deus está se movendo em algum lugar, eu devo me dispor a ir até lá para aprender, pois se eu não o fizer e tentar aprender sozinho, Deus poderá me resistir. Deus resiste ao soberbo.
 
Que o Senhor nos dê colírio para que possamos enxergar e alcançar revelação dentro da sua Palavra.
 
3 - Um Coração Limpo

Em Mateus 5:8, Jesus disse que os limpos de coração poderiam ver a Deus. Veja bem que esse ver é uma promessa para o futuro, mas também se refere ao tempo presente quando podemos ver, por revelação, a Deus (I Co 2:9-10).
 
Há muitos que não podem ter revelação pelo simples fato de terem um coração impuro diante de Deus. Não é suficiente ter um coração limpo, precisamos ter um coração puro. Ser limpo significa não ter pecado oculto. Significa a apropriação completa do perdão do sangue de Jesus. Mas quanto a ter um coração puro não é simplesmente uma questão de pecado. Um copo dágua pode ter a água limpa, porém misturada (Ex: água com açúcar), portanto há corações limpos que não são, de modo algum, puros.
 
Ter um coração puro significa ter um coração sem misturas. Se o nosso coração está cheio de coisas profanas, fica difícil enxergarmos as coisas do espírito. Existem muitas coisas que não são pecaminosas, mas que tornam o nosso coração impuro. Por exemplo, uma pessoa que acaba de abrir uma loja. Apesar do seu coração não estar sujo, ele estará cheio de interesse pelo comércio. Durante todo o dia, ele vai estar voltado para as coisas da loja. Se em nosso coração há um interesse pelo Senhor, mas um interesse igualmente grande por outras coisas, o nosso coração está impuro.
 
Ter um coração puro é ter um coração para Deus. "Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em que eu me compraza na terra" (Sl 73:25). Davi foi chamado de o homem segundo o coração de Deus por causa do seu prazer inteiramente colocado em Deus. Quando o nosso coração está inteiramente voltado para o Senhor, e podemos dizer que o nosso prazer está n’Ele, então as janelas do céu se abrem e a luz de Deus vem sobre a sua Palavra. Em II Crônicas 16:9, lemos que os olhos do Senhor passam por sobre toda a terra, procurando um homem cujo coração seja completamente para Ele. Ter o coração para Deus é tê-Lo como nosso tesouro, pois o­nde está o meu tesouro ali estará o meu coração. Quando o nosso prazer e o nosso tesouro estão no Senhor, então há revelação espontaneamente.
 
Não basta dizer que queremos ter revelação e começarmos a ler a Palavra. É preciso também que entremos nos princípios da Palavra. Em primeiro lugar, precisamos ter um coração consagrado a Deus. Em segundo lugar, um coração ensinável e, em terceiro lugar,  precisamos  ter um coração para o Senhor, apaixonado por Ele. Na medida em  que estas condições vão sendo cumpridas, a luz de Deus vem ao nosso espírito.

4 - Um Coração Sem Véu

Em II Coríntios 3:15, lemos: "Mas até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles". Paulo está nos dizendo aqui que há um véu sobre o coração dos judeus que os impede de enxergar a revelação de Jesus. Que véu é esse? O véu do tradicionalismo. Por que há tantos que não se rendem às evidências do batismo no Espírito Santo? A história comprova, o crescimento das igrejas, os sinais o comprovam, a maturidade das vidas o comprova. Por que, então, ainda dizem que tudo é mentira? Só pode ser por causa desse véu que está posto sobre o seu coração. Não é Deus quem coloca o véu, somos nós mesmos. Quando nos enrijecemos em um conceito natural e humano, estamos colocando sobre o nosso coração um véu que nos impede de enxergar novas revelações.
 
Durante toda a história, esse fato pode ser percebido. Deus sempre usa um homem para trazer uma revelação, mas esse mesmo homem de novo resiste às novas revelações que Deus quer trazer através de outros. Deus não pára, nós é que nos endurecemos em nossa tradição humana. Se desejamos revelação, devemos abrir mão do tradicionalismo humano.
 
Ser tradicional é estar fechado para qualquer nova que Deus esteja falando. E nesse sentido, existem tradicionais que oram baixo e que oram alto. Há tradicionais que oram em línguas e outros que não oram. Tradicional é aquele que está preso ao passado.
 
Veja que um coração correto é básico. Se desejamos revelação, é fundamental nos enchermos com a Palavra de Deus.

5 - Encher-se com a Palavra de Deus

Evidentemente, se eu desejo crescer em revelação da Palavra, eu preciso gastar tempo lendo-a, enchendo a minha mente com ela. Alguém poderá me perguntar: “mas a revelação não é no espírito”? Sim, a revelação é no espírito, mas a minha mente deve começar enchendo-se com a  palavra. Há um princípio em I Coríntios 15:46: "Não é primeiro o espiritual, e sim, o natural, depois o espiritual". A nossa mente tem uma função muito importante, se a mente for obscura e problemática, a revelação no espírito vai ficar comprometida. Primeiro, a minha mente deve saber, para depois o meu espírito ter luz. Por que há muitos que não têm revelação? Porque as suas mentes não estão cheias com a Palavra. Na medida em que eu encho a minha mente com a Palavra do Senhor, Ele mesmo vai se encarregar de transformar aquele conhecimento, inicialmente mental, em algo espiritual, que vai me transformar, gerar em mim fé e me encher de vida.


Rede de Ensino
Ministério Luz Para os Povos
© 2010 - Todos os direitos reservados Ministério Apostólico Luz para os Povos
www.luzparaospovos.org.br   webdesigner: cristiano souza   sistema: coweb