Domingo, 22 de outubro de 2017
"Deus não avalia o homem pela cabeça, mas pelo coração" (Ap. Sinomar).

SIMPLIFIQUE SUA VIDA FINANCEIRA

 Introdução: Essa mensagem faz parte da série Simplifique a Vida. Antes de abordar o tema de hoje eu quero esclarecer o que eu entendo pelo tema “simplifique a vida”.  Simplificar é  “obedecer”. Sempre que nós guiamos a nossa vida por caminhos diferentes daqueles que Deus determinou em Sua Palavra, nós estamos complicando nossa vida. Provérbios 3:5 diz: “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.” Simplificar significa obedecer, confiando que Deus te ama e sempre tem o melhor pra você. Entendendo isso, vamos abordar o tema de hoje: Simplificando sua vida financeira, ou, em outras palavras, alinhando a sua vida financeira com os padrões da Palavra de Deus.  

Não há como simplificar a vida, se o seu relacionamento com o dinheiro estiver fora de controle.

Leitura: Lucas 19:1-9 (Jesus e Zaqueu)

            O que faz um homem rico sacrificar sua reputação e subir numa árvore para ver Jesus? Isso não é uma cena comum de se ver. Zaqueu estava desesperado. Todo o dinheiro que ele tinha não podia trazer paz a sua vida.

            Em um tempo onde tudo o que as pessoas querem é ter uma vida financeira tranquila (e não há nada de errado em querer isso) a vida de Zaqueu nos mostra que uma vida financeira tranquila não é suficiente para trazer realização ao homem. Zaqueu queria mais que uma vida financeira tranquila. Ele queria uma vida diferente.

            Dinheiro não é suficiente para trazer equilíbrio na vida das pessoas. Eu conheço  várias pessoas que perderam a intensidade na vida cristã, perderam o casamento, se desviaram da fé, depois que alcançaram um patamar financeiro de estabilidade. Pessoas que, depois de conseguirem a tão sonhada independência financeira, se tornaram pessoas piores do que quando viviam mais modestamente. Se afastaram de amigos, se esfriaram com a igreja, se tornaram insensíveis a voz de Deus e endureceram o coração para a Palavra de Deus... enfim, pioraram.

            Vendo como está a situação de corrupção do Brasil hoje, eu tenho uma pergunta pra fazer a você, filho de Deus... Se a sua vida financeira fosse pública, você teria alguma coisa do que se envergonhar?  Se todos soubessem de onde vem o seu dinheiro, você teria do que se envergonhar? A integridade da igreja é a única coisa que pode fazer frente a corrupção do nosso Brasil. Se aqueles que são luz, se tornarem trevas, não haverá esperança para nós. É hora da igreja se levantar com integridade para orar pela nossa Nação porque “muito vale por sua eficácia a súplica do justo (Tg 5:16)”. Você tem um vida financeira íntegra?

            Voltemos a Zaqueu. Ele era um político corrupto do seu tempo. Sua casa luxuosa era decorada com o dinheiro da exploração do povo, especialmente os judeus. A Bíblia não nos conta detalhes da conversa entre Jesus e Zaqueu naquela mesa de jantar, mas sabemos que Zaqueu mudou sua perspectiva sobre sua vida financeira. Vemos duas reconciliações na vida de Zaqueu. 1- Reconciliação Espiritual – demonstrada pelo arrependimento que mudou a sua relação com Deus. 2- Reconciliação Financeira – que mudou sua relação com o dinheiro.

            A reconciliação financeira muda a maneira como nós nos relacionamos com os recursos que nós temos, alinhando-nos com a Palavra de Deus.

Ninguém pode ser considerado fiel a Deus sem que sua vida financeira seja reconciliada com o padrão bíblico.

Quero apresentar 3 princípios de reconciliação financeira.

1)    Reconhecer que tudo o que tenho vem de Deus e pertence a Deus.

Romanos 11:36. Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém

1 Coríntios 10:26. “pois "do Senhor é a terra e tudo o que nela existe”

            Entender que tudo vem de Deus é o primeiro passo para sua reconciliação financeira. Você precisa confiar que Deus está cuidando de você. É essencial para que você possa viver em paz.

2)    Aprender a estar feliz em toda e qualquer situação – Filipenses 4:12. “Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade.”

            É muito comum as pessoas pensarem que serão mais felizes depois que tiverem alguma coisa que elas ainda não tem, ou depois de alcançar um certo patamar financeiro. Se isso fosse verdade, os ricos seriam pessoas felizes e os pobres seriam tristes. Observe alguns fatos abaixo levantados pelo instituto Jonatas Silveira de pesquisa congregacional...

-          Os índices de suicídio e divórcio são maiores nas classes altas do que nas classes baixas.

-          Os ricos se desviam da fé com mais facilidade do que os pobres.

-          Os ricos tem mais dificuldade de encontrar um discipulador porque eles estão acostumados a serem bajulados pelas pessoas e se ofendem com mais facilidade quando são confrontados por causa dos seus erros.

-          O dinheiro não faz você pecar, mas faz com que você esteja exposto a muitas tentações que você não tinha antes.

            Alguém aqui tem um amigo que piorou depois que prosperou financeiramente? Não estou pregando contra a prosperidade e nem incentivando o voto de pobreza. Só estou tentando te mostrar que ter um coração reto diante de Deus e se submeter à Senhoria de Jesus tem que ser o objetivo da vida de quem quiser experimentar uma vida plena. Quando o seu objetivo principal é agradar e honrar a Deus em primeiro lugar você vai estar feliz em toda e qualquer situação. Vida plena é resultado de uma vida íntegra e não do acúmulo de bens.

            Eu tenho uma aliança de integridade com Deus. A prioridade número um da minha vida é agradar a Deus e sempre procurar fazer o que é certo aos olhos de Deus. Se Deus quiser que eu seja rico, isso vai ter que acontecer em consequência das bênçãos de Deus na minha vida e não por meios ilícitos. Mas se eu não ficar rico, eu quero estar sempre feliz com aquilo que Deus me deu.

3)    Honrar a Deus com os primeiros 10% de toda a sua renda.

Pv 3:9,10. “Honre ao Senhor com suas riquezas, com os primeiros frutos de sua colheita. Então seus celeiros se encheram de trigo e os seus lagares transbordarão.”

Malaquias 3:10 “Tragam os dízimos a casa do tesouro para que haja mantimento em minha casa.”

Eu sei que alguns dizem que o dízimo é coisa do Velho Testamento, que faz parte da lei e não vale mais no Novo Testamento. Isso não é verdade. O dízimo não é uma lei, é um princípio – O dízimo não faz parte da lei, ele já existia na Bíblia muito antes da lei existir...

-           Gn 4:4. Abel entregou da primícias das suas ovelhas. Abraão entregou o dízimo.

-          Gn 14:20. Abraão deu o dízimo a Melquisedeque, rei de Salém.  “E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo

-           Mateus 23:23. Novo Testamento - Jesus confirmou o dízimo. “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.”

            Eu gostaria de te lembrar  do primeiro princípio – Tudo vem de Deus e pertence a Deus. Lembre-se que Deus não possui apenas 10% da sua renda, 100% pertence a Ele, mas ele ordena que você demonstre a sua fé na sua provisão devolvendo 10% a Ele como a primeira coisa. Quando eu não entrego o dízimo eu estou dizendo: Eu posso fazer com meus 100%, mais do que Deus pode fazer com meus 90%. Ao devolver o dízimo eu estou confiando que Deus vai abençoar e multiplicar meus 90% e eu vou prosperar como Ele prometeu. Eu realmente acredito que meus 90% abençoados valem mais do que meus 100% sem a benção de Deus.

            A primeira coisa que eu vou perguntar a um pretendente que quiser se casar com minha filha é se ele é um dizimista fiel. O motivo? Se alguém não consegue ser fiel a Deus nas suas finanças, há uma  grande chance de que também não será totalmente fiel à minha filha. Dízimo, mais do que uma questão financeira, é uma questão de fidelidade.

Conclusão.

            Finanças é uma das áreas onde muitas pessoas tem dificuldades de se submeterem ao senhorio de Deus. Eu acredito que há três motivos principais que contribuem com essa situação. Primeiro, algumas pessoas tem dúvidas sobre qual a real instrução da Palavra de Deus. Segundo, alguns se sentem inseguros e ficam com medo de serem fiéis e não terem o suficiente para suprir suas necessidades. Em terceiro lugar, alguns dizem que não são fiéis porque não sabem onde o dinheiro está sendo aplicado.

Hoje eu quero te desafiar a tomar uma decisão de fazer uma reconciliação financeira, alinhando sua vida com a Palavra de Deus.

            Como Zaqueu você pode se tornar um bom administrador dos recursos que Deus confiou a você.

            Diga em voz alta: Tudo que eu tenho vem de Deus e ele cuida de mim. Eu posso viver feliz em todas as circunstancias da vida, tanto na fartura como na escassez, pois eu creio que Deus sabe o que é melhor pra mim e ele me ama. Eu confio que Deus vai usar meus 90% para me fazer prosperar e ir muito além do que eu poderia chegar com meus 100%, porque o dízimo é o caminho bíblico para Deus me abençoar.

Bpo. Jonatas Silveira

Série: Simplifique a vida - Junho/2017

Ministério Luz para os Povos

© 2010 - Todos os direitos reservados Ministério Apostólico Luz para os Povos
www.luzparaospovos.org.br   webdesigner: cristiano souza   sistema: coweb