Terça, 24 de outubro de 2017
"Aquele que vê a mão de Deus em todas as coisas, deve deixar todas as coisas nas mãos de Deus".

UMA ESPIRITUALIDADE SEM RESULTADOS

 Texto: Tiago 1:13-27 

Introdução:

Tiago irmão de Jesus torna-se discípulo após a ressurreição de Jesus, tornou-se um líder da igreja do primeiro século. Ele escreve aos discípulos de Jesus que foram dispersos com a perseguição em Jerusalém.

Com sua abordagem simples fala diretamente explicando como eles ficaram tendentes a racionalização dos erros, tornando-se pessoas propensas a negociarem valores da fé, enquanto lidavam com as adversidades pessoais.

Tiago irmão do Senhor aborda nos seus escritos fatores que estavam roubando a comunhão com Deus, contaminando os cristãos. Suas desculpas para justificarem seus erros eram grandes, pois haviam se tornado pessoas que sabiam muito, conheciam muito, mas ficaram pessoas “sedentárias espirituais.”

Com o passar do tempo todos nós corremos o risco de nos tornarmos religiosos e ter uma vida espiritual sem nenhum resultado prático de mudança ou transformação. Somos indesculpáveis diante de Deus, diante do mundo espiritual, quando conhecemos, sabemos a verdade e vivemos a vida como bem entendemos. 

1 – Tiago fala claramente aos Cristãos: Chega de desculpas.

“Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações,” Tiago 1:2

“Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” Tiago 1:13-15

Nos nossos dias diríamos: “Chega de mimimi”, parem de dar desculpas!

No verso 2 (dois) a palavra “tentado” em grego é:

– “PEIRAZO” = Significa: “Desejos interiores que crescem e geram erros exteriores”.

No versículo 13 (treze) a palavra “provações” em grego é:

– “PROVAÇÕES” = Significa: “Circunstancias externas que lapidam o interior…”

A – Claramente existe uma diferença muito grande entre estas duas expressões. Cada um é tentado pelo seu próprio mau desejo.

– Mau desejo: “EPITHYMIA” = “Desejo interior disfuncional em relação aos valores de Deus.”

“…entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais.” Efésios 2:3

“…mas quando chegam as preocupações desta vida, o engano das riquezas e os anseios por outras coisas, sufocam a palavra, tornando-a infrutífera.” Marcos 4:19

– A vontade da Carne: Epithymia

– Os anseios: Epithymia.

Notem que nos dois textos as expressões em português são diferentes, mas a raiz da palavra é a mesma em Grego. Tanto o Apóstolo Paulo, quanto o escritor do Livro de Marcos estão dizendo as mesmas coisas, ou seja: “ser tentado, a vontade da carne e os anseios por outras coisas” possuem o mesmo sentido: “Desejo interior disfuncional aos valores de Deus.” 

B – Chega de desculpas:

Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça (desejo), sendo por esta,  arrastado e seduzido.” Vs.14.

Verbos no Particípio Passivo(Grego):

– Arrastado = Atração por hipnose, força magnética (ou controle por forças alheias ao homem).

– Seduzido = Controle, domínio (a pessoa perde as forças, o controle da mente, das emoções etc.).

Eugene Peterson diz em seu livro: “Como este LIVRO” a seguinte expressão: “Vivemos numa época na qual temos sido todos treinados desde o berço para escolher nós mesmos o que é melhor pra nós…”

“…As três pessoas Pai, Filho e Espírito Santo, são substituídas pela trindade pessoal dos meus santos desejos, minhas santas necessidades e meus santos sentimentos.”

– Meus Santos desejos.

– Minhas Santas Necessidades.

– Meus Santos Sentimentos.

Mas a Palavra de Deus continua dizendo claramente: “Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido… Tg. 1:13.

Deus não nos tem por inocentes, somos conhecedores da palavra e se não praticamos nos tornamos réus, passíveis de pena e condenação. Não somos inocentes por causas destes sentimentos e desejos que estão baseados na nossa carne, ou no viver diário com um estilo de vida fora dos padrões de Deus. Somos indesculpáveis!

Parem de dar desculpas! Está claro que não podemos ficar justificando a nossa vida o tempo todo, estou assim por isso ou estou fazendo isso por que me fizeram tal e tal coisa. Pare hoje com as desculpas! Pare Agora!

C – “…então este desejo tendo concebido da à luz ao pecado.” Tg. 1:15

O texto está dizendo que ficamos grávidos, ou somos capturados. O melhor exemplo que tenho é de um parasita que vem morar dentro de nós (como em um filme de alienígenas), somos capturados, mas ao mesmo tempo geramos algo maligno dentro de nós que vai primeiramente nos matar e depois destruir tudo e todos em nossa volta. Como se estivéssemos grávidos de um mostro que ao nascer nos mata.

“Aquilo que era um desejo interior se torna uma atitude exterior.”

“Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz ao pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte.” Tiago 1:15

Os nossos desejos fora do controle e do padrão da Palavra de Deus, quando são concebidos traz à luz o pecado e este consumado vai gerar morte.

D – A trilha da morte:

Desejos + nos arrastam, nos seduzem + Tornamo-nos grávido (as) = dá luz ao pecado = MORTE.

E – Ponto de retorno:

Desejos + nos arrastam, nos seduzem + Tornamo-nos grávidos(as) = Ponto de retorno.

“Eu não posso impedir que os pássaros voem sobre minha cabeça, mas posso impedir que eles façam ninhos nela.” Martinho Lutero. 

2 – Chega de espiritualidade sedentária

Muitos Cristãos vivem uma vida espiritual sem resultados, não há fruto, não há arrependimento, não cultuam mais a Deus, não há adoração, não existe mais comunhão com Deus. Uma vida sedentária, sem nenhuma expressão, simplesmente: “Religioso.”

“Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos.” Tiago 1:22.

A primeira palavra neste Verso: “Sejam” – imperativo = Tornem-se.

Consideramos a nós mesmo espirituais, talvez, até mesmo pelo estilo de vida que desenvolvemos, mas a nossa espiritualidade nada mais é do que uma forma religiosa de uma prática sedentária espiritual.

Pensamos que por irmos aos cultos, até mesmo frequentamos um grupo de estudos, tiramos um tempinho para orar e ler a bíblia, estamos fazendo nossa obrigação Cristã, ou seja, estou cumprindo o meu papel diante de Deus. 

A – Espiritualidade sedentária:

– Ouço uma hora de sermão por semana (quando vou ao culto), quatro horas por mês

– Estudo ou leio um livro por uma hora por dia na semana, 20 horas por mês.

– 2 Horas de leitura bíblica por semana (15-20 minutos por dia), 9h 30 horas por mês.

Principal problema: Gasta-se mais tempo com internet, facebook, redes sociais e TV do que com práticas espirituais.

Vivemos uma “obesidade mórbida”. A teoria sem a prática vira “verbalismo”, assim com a prática, sem teoria, vira ativismo. No entanto, quando se une a prática com a teoria tem-se a práxis, ação criadora e modificadora da realidade. (Paulo Freire).

Tente colocar em prática o que você já sabe, e fazendo isso, você descobrirá com o tempo as coisas escondidas sobre as quais agora você sabe e isso ajudará a tornar claro o que agora você não sabe. (Rembrantd van Rijn).

3 – Chega de espiritualidade sem resultados.

Quando queremos uma mudança física saímos do sedentarismo, começamos a nos exercitar, o nosso corpo muda toda a fisiologia. Rapidamente percebe-se uma grande mudança.

“Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência.” Tiago 1:23,24

Espelho = Palavra de Deus – A principal função do espelho é o auto exame.  A palavra de Deus mostra quem somos e o que temos em nós, assim somos expostos a luz, que entra no nosso espírito, na nossa alma e muda todas as coisas em nós, até no nosso corpo físico. 

A palavra de Deus não apresenta apenas o que somos,

mas o que deveríamos ser.

O homem sempre busca a felicidade esquecendo que Deus não nos criou para sermos felizes, e sim para sermos santos, a nossa felicidade é em consequência da nossa santidade.

Tiago diz: “Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer.”Tiago 1:25.

Quer ser feliz? Pratique a palavra de Deus,

você será feliz em tudo o que fizer!

Nosso grande problema é não ouvir a Palavra, nem o Espírito de Deus (Espírito Santo).

Conclusão:

Quando aprendemos a Palavra de Deus e não praticamos, ficamos debaixo de um espírito de engano, pois enganamos a nós mesmos. Tiago é claro quanto a isso. Nossos desejos e vontades precisam ser expostos e tratados pela Palavra de Deus. Isso, aliado ao discipulado eficaz, onde é permitido transparência, havendo proteção do discipulador e do discipulado, desejos e vontades serão alinhados e equilibrados.

“Assim como a mosca morta produz mau cheiro e estraga o perfume, também um pouco de insensatez pesa mais que a sabedoria e a honra.” Eclesiastes 10:1

A unção, o perfume, o azeite que trazemos em nós, que é a vida de Deus, não pode ser contaminado por estes fatores externos e internos que lidamos.

As tentações precisam ser tratadas, os desejos que nos levam a cometer erros e todos os tipos de torpezas não podem permanecer em nós, pensamos que podemos lidar com eles sozinhos, andamos só, queremos ficar só. Quando percebemos o erro, a queda já aconteceu.

As Provações têm por objetivo fazer crescer, mas podemos perguntar quando vai acabar? Somente quando estiver na Glória, este é o lugar onde Deus vai acabar de tratar e trabalhar nas nossas vidas. Deus está lidando conosco através das provações, gerando arrependimento, gerando fé, ensinado princípios e fundamentos na Palavra.

Série: Simplifique a vida.

Bp. Eurípedes

© 2010 - Todos os direitos reservados Ministério Apostólico Luz para os Povos
www.luzparaospovos.org.br   webdesigner: cristiano souza   sistema: coweb