Terça, 24 de outubro de 2017
"Deus, em sua sabedoria, faz com que as mais belas rosas nasçam entre espinhos para que não sejam soberbas" (Ap. Sinomar).

FÁBRICA DE ÍDOLOS

 Os ídolos das nações não passam de prata e ouro, feitos por mãos humanas. Têm boca, mas não podem falar, olhos, mas não podem ver; têm ouvidos, mas não podem escutar, nem há respiração em sua boca. Tornem-se como eles aqueles que os fazem e todos os que neles confiam (Salmos 135:15-18).

 

Com a crise econômica nos meados de 2008, centenas de indivíduos, antes ricos e bem relacionados, perderam tudo e daí surgiu uma sucessão de suicídios. – Um exemplo no Brasil: Eike Batista – 20 bilhões de dólares e perdeu tudo.

Muitos acham que a prosperidade pode saciar sua fome de felicidade, mas essa é uma esperança ilusória.

- Alguns quando perdem tudo ficam pesarosos e outros ficam desesperados.

O pesar é uma dor para a qual existem fontes de consolação: amigos, família, etc. Mas o desespero é algo inconsolável porque é consequência da perda de algo que era tudo para a pessoa. Para muitos quando a vida perde a última fonte de sentido ou esperança, não há fontes alternativas para onde voltar-se. Isso acaba com a pessoa. Muitos acabam com a própria vida.

------- O -------

1. Uma cultura repleta de ídolos.

- No mundo antigo (greco-romano) cada cidade venerava suas divindades preferidas e construía templos ao redor de suas imagens para adoração. Ex Paulo em Atenas (At 17:16).

 Enquanto esperava por eles em Atenas, Paulo ficou profundamente indignado ao ver que a cidade estava cheia de ídolos.

Muitas divindades eram veneradas: A deusa Atena; Afrodite, a deusa da beleza; Ares, o deus da guerra; Ártemis, a deusa da fertilidade e da riqueza; Hefesto, o deus do artesanato, etc...

------- O -------

No mundo de hoje não é diferente – temos um conjunto de ídolos – cada um tem o seu sacerdócio e seus rituais. Todos têm os seus templos, suas torres empresariais, seus “spas”, suas academias, seus estádios – onde sacrifícios são feitos para que as bênçãos da “boa vida” sejam obtidas e os problemas evitados.

Milhares de mulheres e homens não se ajoelham fisicamente diante da estátua de Afrodite, mas muita gente hoje é levada à depressão e disfunções alimentares por uma preocupação excessiva com a imagem.

Podemos hoje, não queimar incenso a Ártemis, mas quando o dinheiro e a carreira são elevados às maiores alturas, realizamos algo parecido com um verdadeiro sacrifício de crianças, negligenciando a família e os entes queridos para conquistar lugares mais elevados no mundo dos negócios: Queremos posição, prestígio e fama a qualquer custo. Essas pessoas normalmente têm o desprazer de contemplar o desmoronamento da família e o envolvimento em escândalos e às vezes as duas coisas juntas.

2 – Os ídolos do coração.

- O mundo de hoje desenvolveu a cultura da ganância. A ganância não é apenas um hábito. Ganância é idolatria. (Veja Col 3:5)

 Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e a ganância, que é idolatria.

O dinheiro pode assumir atributos divinos, e nossa relação com ele então se aproxima da adoração e da obediência.

·         O dinheiro pode se tornar um vício espiritual, e esse vício, como todos os outros, esconde das vítimas suas principais proporções. – Muitos ficam obcecados pelo dinheiro – ficam cegos e hipnotizados. Por que tudo isso? A resposta bíblica é clara: O coração do homem é uma fábrica de ídolos. – A adoração de ídolos interior, dentro do coração, é universal. (Leia Ezequiel 14:3 e analise o versículo.

 

Filho do homem, estes homens ergueram ídolos em seus corações e puseram tropeços ímpios diante de si. Devo deixar que me consultem?

- Muitos dizem: Ídolos? Eu não tenho ídolos. Acontece que o coração humano toma coisa boas, como uma carreira profissional, bens materiais e até família, e faz disso tudo as coisas mais importantes de suas vidas. Isso é idolatria das mais perversas.

Nossos corações às vezes divinizam algumas coisas como se fossem o centro de nossas vidas. Uma boa intenção pode se tornar em algo absoluto, anulando qualquer outra lealdade ou valor, inclusive Deus, que acaba ficando em segundo plano.

------- O -------

3 – Qualquer coisa pode se transformar em ídolo.

- O dinheiro, por exemplo, pode se tornar muito mais que dinheiro. Pode se tornar num deus poderoso que altera a vida, molda a cultura e quebra os corações de seus adoradores. Ex: Sérgio Cabral.

- O código moral mais famoso do mundo é o DECÁLOGO (os dez Mandamentos).

O primeiro mandamento é; “ Não terás outros deuses diante de mim. Isso inclui tudo no mundo!

- O dinheiro pode se transformar em deus – um deus alternativo – um falso deus; o sexo pode se transformar em deus; os netos, um cargo público...

- O problema é quando transformamos algo bom em algo supremo, de modo que a sua busca ofusque todos os outros valores da vida. Mas, os falsos deuses sempre nos desapontam (dar exemplos).

------- O -------

4 – Como fazer um deus.

O que é um ídolo? É qualquer coisa que absorva o nosso coração e imaginação mais que Deus- Yhwh.

- Um falso deus é qualquer coisa que seja tão central e essencial para nós que, caso percamos aquilo, fica difícil continuar vivendo. Um ídolo tem uma posição de controle muito grande sobre nós. Somos capazes de gastar com ele a nossa paixão, a nossa energia, os nossos recursos financeiros e emocionais, sem pensar duas vezes.

------- O -------

Um ídolo é qualquer coisa que você olha e diz em seu coração: “Se eu tiver isso terei segurança e serei feliz”.

- Se alguma coisa se torna mais importante e fundamental do que Deus para a nossa felicidade, então estamos diante de um ídolo.

·         Muita gente procura boa saúde, boa forma física – procura essas coisas em busca de esperança, significado e satisfação que só Deus pode dar.

------ O -------

- Existe ídolos culturais – os ídolos intelectuais – existe ídolos em cada campo vocacional. Os ídolos estão em todos os lugares.

- Quando desejamos e nos deleitamos em outras coisas, mais que em Deus, cometemos adultério espiritual – essa é uma metáfora conjugal. O “romance” ou o “sucesso” podem se transformar em “falsos amantes” que podem nos fazer sentir amados e muito estimados. Os ídolos capturam a nossa imaginação e podemos percebê-los se prestarmos atenção naquilo que nos faz sonhar acordados. Buscamos os ídolos para que nos proporcionem um senso de confiança e segurança.

- Tudo que nos controla é nosso senhor. A pessoa que busca o poder é controlada pelo poder. Amados, nós não controlamos a nós mesmos. Somos controlados pelo senhor da nossa vida.

CONCLUSÃO: Precisamos quebrar o encanto, ou seja, o domínio que os ídolos exercem sobre nós.

·         Nossa segurança não está nos ídolos.

·         Só os adoradores de Deus são plenamente felizes.

·         Nenhum ídolo pode nos dar o que promete.

·         Precisamos discernir os ídolos de nosso coração e da nossa cultura.

·         Vamos arrancá-los e colocar o foco em Deus.

Aspergirei água pura sobre vocês, e vocês ficarão puros; eu os purificarei de todas as suas impurezas e de todos os seus ídolos (Ezequiel 36:25).





Filhinhos, guardem-se dos ídolos (1 João 5:21).

 

© 2010 - Todos os direitos reservados Ministério Apostólico Luz para os Povos
www.luzparaospovos.org.br   webdesigner: cristiano souza   sistema: coweb