Domingo, 22 de outubro de 2017
"Quem se fixa na escuridão não consegue ver o brilho e a exuberância das estrelas" (Ap. Sinomar).

O PODER DO ESPÍRITO SANTO E SEUS RESULTADOS

 “Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder” (II Tm 1:7).

 INTRODUÇÃO

 O livro de Atos é uma explosão de poder. A palavra “poder”, no Novo Testamento, é a mesma que comumente usamos para “dínamo”, “dinâmico” ou “dinamite”. Jesus prometeu, antes de sua ascensão: “Recebereis poder” (Atos 1:8).



  Que força estranha foi aquela que transformou discípulos desapontados, desanimados, inativos e entristecidos, em verdadeiros dínamos da noite para o dia? Parece-nos que Jerusalém foi abalada com a força de um tornado. Que poder foi aquele que levou três mil pessoas arraigadas ao judaísmo, a se converterem a Jesus e morrerem por Ele como aconteceu com alguns?



  Pedro, outrora um covarde, depois de ter negado a Jesus com todas as suas forças, agora se levanta com a coragem de um leão. Que poder foi aquele que mudou por completo a sua personalidade?



  Lendo o capítulo 2 de Atos, sabemos que foi o Espírito Santo que desceu sobre a Igreja – que é o corpo de Cristo. Sob a direção e sob o poder do Espírito Santo, a igreja tornou-se num organismo florescente e vital e indestrutível.

1 – O Espírito Santo havia chegado. A promessa de Jesus aos seus discípulos havia se cumprido. A herança, o patrimônio de Deus para os salvos é a plenitude daquele poder. Muitas vezes na história aquele poder se repetiu, em três situações:

        ·         Quando a Unidade do Espírito é estabelecida (Ef 4:1-3)



·         Quando existe uma fome extrema pela presença de Deus (Sl 63:1-2)



·         Quando o Amor a Deus supera todas as coisas seculares (Mt 6:33)

2 – “E de repente (foi um acontecimento repentino), veio do céu um som como de um vento veemente e impetuoso...” (At 2:2-4).

·         Ninguém pode ler o livro de Atos e negar este poder;

·         O poder de Deus brota em cada capítulo do livro como um raio;

·         Lucas, no livro de Atos, dá todo crédito ao Espírito Santo sobre tudo que aconteceu:

- Nada acontece numa igreja sem o poder do Espírito Santo.

- Sem a dinâmica do Espírito Santo somos apenas religiosos.

3 – Razões para o poder. A nossa ligação com Jesus não pode ser uma monotonia, mas deve ser a maior aventura, a mais gloriosa experiência de nossas vidas.

·         Não podemos mostrar ao mundo o esplendor do Cristianismo, sem o poder do Espírito Santo em nossas vidas.

·         Nem Jesus, quando de sua humanidade, ousou fazer qualquer coisa de si mesmo – Leia João 5:19.

- Antes de receber o Espírito Santo, Jesus não demonstrou nenhum poder e nenhum feito.

- Depois que disse: O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu... aí começaram os milagres e os grandes sinais (veja isso no capítulo 4 do Evangelho de Lucas).

- A única resposta para a fraqueza, é a unção de Deus (Jo 4:18 e 6:19).

4 – Deus deliberadamente escolheu homens simples para demonstrar o seu poder (I Co 1:27 e II Co 12:9).

·         Fraqueza aqui significa ser pequeno diante de Deus, significa conhecer a nossa fragilidade e pobreza de espírito.

·         Os primeiros cristãos eram tão simples que era propriamente impossível alguém de mente esclarecida considerar qualquer possibilidade de sobrevivência da Igreja (argumentar).

·         Mas é na fraqueza que Deus age melhor. Exemplo: Gideão era o filho mais simples em sua família e sua família era a mais pobre em Manassés, mas Deus diz a ele: “Já que eu estou contigo, ferirás os midianitas como se fosse um só homem” (Jz 6:15-16).

5 – Os resultados do poder. Com a plenitude do Espírito Santo agindo em nossas vidas, os resultados serão de surpreendentes proporções.

Em Atos 4:33, temos palavras explosivas:

·         Note as palavras: “Grande poder” e “abundante graça”.

·         A palavra “grande” no grego é “mega”. Hoje esta palavra é muito usada no mundo secular. O poder da bomba atômica, por exemplo, é medido por megatons. Um megaton é equivalente à força explosiva de um milhão de toneladas de dinamite. No dia 16 de agosto de 1945, a primeira bomba atômica foi despejada sobre a cidade de Hiroshima no Japão. De 500 mil habitantes, 70.000 morreram num abrir e fechar de olhos e outras 100 mil foram mortalmente feridas, muitos faleceram horas depois. A enciclopédia Delta afirma que 90% da Cidade foi totalmente destruída. Ondas quentes de milhões de graus de intensidade agitavam-se com a velocidade da luz, derretendo pedras, madeira e ferro.

Agora pense: Aquela bomba era das menores – um quinto de megaton, ou 20.000 toneladas de dinamite. Hoje já temos bombas cinco mil vezes mais poderosas.

Com esta ilustração de poder, vamos ler o texto novamente colocando a palavra “grande” na dimensão científica: “Com um milhão de toneladas de poder, os apóstolos davam o testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e um milhão de toneladas de graça estava sobre eles”! Era um poder indescritível e esplendoroso!

CONCLUSÃO

Não podemos imaginar que, numa cidade qualquer seja derramada um bomba atômica e ninguém perceba, continuando as suas atividades normais – ilustrar.

Da mesma forma, quando o Espírito Santo se manifesta numa Igreja local, ou numa cidade, todos ficam como o povo de Jerusalém: “atônitos e perplexos” (At 2:12).

·         Em Jerusalém os salvos foram transformados e os pecadores foram salvos.

·         Verdadeiros prodígios aconteciam – Veja atos 2:43 e Atos 2:45-47.

·         Temos uma promessa desse mover para os nossos dias. Precisamos buscá-lo e gerá-lo com jejum, clamor e lágrimas. Ora, o poder dos poderes está chegando para nós.

Aleluia!

© 2010 - Todos os direitos reservados Ministério Apostólico Luz para os Povos
www.luzparaospovos.org.br   webdesigner: cristiano souza   sistema: coweb