Terça, 24 de outubro de 2017
"O ouro é testado pelo fogo e os vencedores, pela adversidade" (Ap. Sinomar).

A Televisão e a Rotina

Quando meu marido adoeceu e foi para o hospital, fui surpreendida por uma avalanche de novas responsabilidades – as contas a pagar, as compras, os atendimentos às pessoas que chegavam para saber notícias dele, o trabalho, as responsabilidades espirituais, enfim toda administração doméstica. Além de tudo isso, ainda havia a preocupação com sua saúde, acrescida de uma natural incerteza do amanhã. Um dia cheguei em casa à noite, o cansaço era imenso, me deitei no sofá, liguei a televisão e dormi ali mesmo. Quando acordei fiquei assustada, pois eu estava agindo como os homens. Falei com um dos filhos: “Veja a gravidade da situação, estou fazendo da forma que os homens fazem, dormindo em frete à televisão”. Rimos da situação e fomos para a cama.
 
Na sua casa também o marido dorme com a televisão ligada? Normalmente enquanto a esposa que chegou junto do trabalho prepara uma refeição para as crianças, dá banho no menor, arruma a mesa, serve a janta, lava as louças que ficaram do almoço e ainda recolhe algumas peças de roupa do varal, ele dorme como um rei cansado. Quando acorda, para comer sua comida quente, reclama do barulho que o impediu de ver o jornal (embora seus roncos fossem audíveis). Depois a casa continua em sua rotina e as crianças cansadas começam a brigar por causa da borracha que o outro pegou e ele não pode apagar a tarefa errada. O pai continua mudando de canal vendo a notícia, o futebol, a segunda edição de todos os jornais. A calada da noite chega, a mulher exausta senta um pouco – agora as crianças já dormiram e ela já tomou seu banho, sua bolsa já está pronta sobre a mesa, pois amanhã bem cedo a rotina começa novamente – se não tivesse de levantar tão cedo daria pra verem um filme. A menina dormiu com a boneca, aquela da propaganda e o menino, que engraçado, não vestiu seu pijama, preferiu usar a fantasia de seu super-herói preferido – quem usa pijama é pai. Os dois percebem que estão sozinhos e o marido faz um carinho na esposa – também muito rotineiro – e ela, exausta, aceita o aconchego, afina são casados há dez anos e também esta parte está incluída no seu dia-a-dia. De acordo com o que lhe ensinaram, a mulher não tem poder sobre seu próprio corpo e também não pode privar o homem para que satanás não lhe tente. Semana que vem irá marcar um aconselhamento e provavelmente sua conversa girará em torno de sua falta de entusiasmo e interesse em sua vida íntima. “Será que há algo de errado comigo? Acho que sou culpada, pois meu esposo é um homem muito bom, não deixa faltar nada, é calado, quase não conversa, às vezes fica bravo com o barulho, mas ele tem razão, pois precisa descansar”.
 
Tenho certeza de que se a televisão estragasse o problema seria resolvido, pois nem ela está percebendo sua fome. Toda família está com saudade da participação do pai – no banho, na tarefa escolar, nas atividades domésticas, na divisão dos papéis dentro de casa, nas brincadeiras, nas gargalhadas e nas lágrimas. Faz muito tempo que não tem um livro novo de história nesta casa, pois não há quem conte. Eles assistem, ouvem e vêem as histórias contadas pelas heroínas da TV. Dentro de poucos anos, ou talvez meses, estes mesmos pais não entenderão a razão de as crianças não terem o menor interesse por leitura, preferindo passar o dia jogando os jogos eletrônicos. Ler é trabalhoso!
 
Amada, disse a conselheira, o texto que você citou tem uma segunda parte, preste atenção: “A mulher não tem poder sobre seu próprio corpo, e sim o marido; e também semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher. Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente vos ajuntardes, para que satanás não vos tente por causa da incontinência. 1 Co 7:4:5. Você percebeu que a Bíblia se dirige tanto para a mulher como para o homem? A vida, com papéis divididos de forma justa no lar, favorece o casamento em todos os sentidos. Se seu esposo ficasse menos tempo em frente a TV e assumisse funções dentro de casa, até as crianças ficariam empolgadas e passariam a cooperar, vocês poderiam ver um bom programa juntos e ter uma vida muito mais rica e satisfatória em todos os sentidos. Que tal experimentar?
 
Noeme S. Torres
Bispa do Ministério Luz para os Povos e Escritora
© 2010 - Todos os direitos reservados Ministério Apostólico Luz para os Povos
www.luzparaospovos.org.br   webdesigner: cristiano souza   sistema: coweb